?> Armazenando Qualidade – Grupo Barralcool tem foco em melhorias na produção de seu açúcar Ler Mais">

Armazenando Qualidade – Grupo Barralcool tem foco em melhorias na produção de seu açúcar

Por Jorge Figueiredo
em 27 de setembro de 2012 às 13:35


Não se produz mais açúcar como antigamente. O aumento das exigências dos clientes provocou a necessidade de grandes mudanças na fabricação nos últimos anos. Hoje a preocupação com a qualidade não termina quando o produto está acabado. É preciso investir em recursos industriais para a manutenção do padrão nas etapas posteriores, como secagem e armazenamento.

Até o início da década de 90, as especificações de qualidade eram definidas pelo extinto Instituto de Açúcar e Álcool (IAA), ou seja, o Governo. Hoje quem faz essa determinação são os compradores. “Com isso, o rigor em relação à qualidade é bem maior”, frisa o coordenador de qualidade do Grupo Barralcool Leandro Patrocínio.

Antes produzidos para refinarias ou exportação sem grandes exigências de qualidade, o açúcar é fabricado atualmente com especificações pré-determinadas para cada aplicação: doce, refrigerante ou consumo humano, por exemplo.

Essa é uma tendência mundial: as empresas exigem um insumo que atenda as suas exigências por qualidade. Muitos clientes chegam a inspecionar a fábrica antes de comprar o açúcar. “Por isso, a Barralcool têm um grande cuidado com limpeza, maior controle automático, menos pessoas no envase do produto e profissionais bem treinados”, esclarece o supervisor de armazém da Barralcool Admilson Louzada.

Para Barralcool a adaptação a essas exigências demandou alterações estruturais no processo, como a troca de equipamentos antes confeccionados a base de aço-carbono por linhas e equipamentos de aço inox, até controles automáticos totais da cadeia partindo da matéria-prima até o final do processo na estocagem do produto. Cada etapa de fabricação teve sua importância aumentada. “Considera-se que a partir da cristalização o processo se torna mais crítico e sua proteção deve ser intensificada”, afirma Admilson . A empresa produz aproximadamente 60 mil de toneladas de açúcar por safra, onde o grupo Renosa, franqueado Coca-Cola no Centro-Oeste é o maior cliente.

A certificação ISO 22000 é uma realidade vivenciada pelos nossos colaboradores com as mudanças estruturais e culturais através de vários treinamentos. Tivemos um grandioso investimento no armazém de açúcar e todo o processo de envaze. Os processos de secagem e armazenagem se tornaram etapas fundamentais” – Segundo o diretor executivo Cidimar Sansãor. Ele ainda destaca; “Hoje temos um processo integrado e totalmente supervisionado, os investimentos acontecem cada vez mais pensando na qualidade do nosso açúcar e no respeito aos nossos clientes”.